Informações úteis sobre o CÂNCER

M E N U

SINTOMAS E SINAIS DE ALERTA




O CORPO HUMANO É FORMADO POR MILHÕES E MILHÕES DE CÉLULAS

A célula é a unidade estrutural e funcional do nosso organismo, assim como um tijolo pode ser considerado a unidade estrutural de um grande edifício.

A célula é formada por dois compartimentos que são o citoplasma e o núcleo. No núcleo e no citoplasma existem vários componentes das células, que são necessários para manter a sua vida e reprodução.

A célula é rica em água, podendo esta ser considerada um grande laboratório onde se passam todas as reações químicas necessárias às nossas funções.

No núcleo localizam-se os nossos 23 pares de cromossomos, que contém o DNA. O DNA alberga os genes que são responsáveis pela síntese das proteínas, estas que controlam quase todas as nossas funções.

Quando adoecemos as primeiras alterações ocorrem no nível dos nossos genes. O câncer é a transformação de uma célula normal em um célula cancerosa (malígna).

Os agentes físico (ex. raios solares); químicos (ex. derivados do tabaco); os biológicos (alguns vírus como o da hepatite B e do papiloma HPV), transformam os genes normais, chamados de protooncogenes em genes produtores de câncer, chamados de oncogenes.

Em nossas células existem genes que nos protegem contra o câncer, chamados de genes supressores de tumores e genes de reparo.

Quando há um desequilíbrio a favor dos oncogenes, desenvolvemos algum tipo de câncer.

A célula cancerosa se divide em progressão Geométrica ( 1-2-4-8-16)

Além deste tipo de câncer, gerado por agentes físicos, químicos e biológicos (câncer esporádico), temos o câncer hereditário.

No câncer hereditário herdamos um defeito genético do nosso pai ou da mãe e basta adquirirmos mais algumas alterações para termos câncer. É característico de pessoas mais jovens e com vários casos na família. Como acontece por exemplo em certos casos de câncer do intestino grosso, da mama e etc...

O câncer é uma doença comum, perfeitamente curável. A cura depende principalmente do diagnóstico precoce e tratamento especializado.

O nº total de novos casos de câncer esperados nos Estados Unidos e no Brasil no ano de 2000 foram de:

USA -> Total = 1.220.000

BRASIL -> Total = 284.205


Os números de casos dos tipos mais comuns de câncer no Brasil (Homem e Mulher). Excluindo-se o câncer de pele. Ano de 2000.

MULHER

MAMA
Colo uterino
Estômago
28.340
17.251
6.180

HOMEM

Próstata
Pulmão
Estômago
14.830
14.460
13.680



Os números de casos dos tipos mais comuns de câncer nos Estados Unidos (Homem e Mulher). Excluindo-se o câncer de pele. Ano de 2000.

MULHER

MAMA
Pulmão
Colorretal
182.800
77.900
66.600

HOMEM

Próstata
Pulmão
Colorretal
180.400
101.500
63.600



O câncer, nas suas fases iniciais, é uma doença indolor. A dor, aparece comumente, nas fases avançadas da doença.

Noventa por cento dos tumores malignos podem ser curados, desde que diagnosticados precocemente e tratados de maneira correta. O tratamento nas fases iniciais, além das altas taxas de cura, não leva a nenhuma mutilação e custa menos.

Para se fazer um diagnóstico precoce, é necessário perder o medo da doença e procurar o médico certo.O tratamento incorreto no início da doença, muito contribui para diminuir as chances de cura.

Para se fazer um diagnóstico precoce, o onco-check-up é fundamental. A cada 6 meses, passar pelo médico que conheça a história natural da doença, converse com você, examine-o da cabeça aos pés e solicite os exames que julgar necessário.

 

^ CLIQUE AQUI E VOLTE AO MENU

O câncer, nas suas fases iniciais, em geral, não apresenta sintomas. Veja a relação de alguns sinais e sintomas que podem estar relacionados à doença:


Alterações no hábito intestinal

Sentindo-se preocupado e desconfortável ?

É normal preocupar-se quando o médico suspeita que você possa ter um tumor no cólon. Isto pode causar ansiedade por não saber se ele é ou não maligno, e pelas dúvidas a respeito do tratamento e perspectivas de recuperação. Mas o fato é que a maioria dos tumores de cólon podem ser removidos rapidamente. E mesmo que ele seja canceroso, se for realizado um tratamento precoce com medicamentos, as perspectivas são boas.

Como detectar os Tumores de Cólon?

Talvez você tenha apresentado sintomas de tumor de cólon. Estes sintomas podem incluir dor abdominal e retal, sangramento retal, alterações dos hábitos intestinais que tenham durado mais de uma semana, ou cansaço. Mas é mais provável que estas alterações danosas à saúde só sejam notadas pelo médico. Esta é a razão que torna os checkups uma das maneiras mais seguras de detectar os tumores no cólon. Quanto antes o médico detectar o problema, maior serão as chances de sucesso do tratamento e recuperação.

Tratamento precoce

Você suspeita que tem um tumor de cólon ? Consulte o médico imediatamente. Um tratamento médico imediato aumenta as chances de recuperação bem sucedida. Você e seu médico podem juntos diagnosticar e tratar seu problema de cólon antes que ele piore.

AVALIAÇÃO

A rapidez na avaliação é a chave do diagnóstico do tumor do cólon. O histórico médico, exame clínico completo e exames diagnósticos ajudam o médico a diagnosticar o problema do cólon e planejar o tratamento correto.

TRATAMENTO CIRÚRGICO

O próximo passo, se necessário, é a cirurgia. Se ele for cancerígeno, poderá ser necessário um tratamento posterior incluindo quimioterapia ou radioterapia para reduzir as chances de recidivas ou disseminação do câncer. A radioterapia é, também uma forma de tratamento local, onde são usados aparelhos capazes de emitir irradiações que destroem as células malignas. O acelerador linear é um dos aparelhos usados no tratamento radioterápico. Veja imagem abaixo:

Outra forma de radioterapia é a braquiterapia, neste caso o material radiativo é colocado em contato direto com os tecidos.

CUIDADOS NO SEGUIMENTO

Após a recuperação da cirurgia e de outros tratamentos que tenham sido necessários, você pode voltar lentamente às suas atividades diárias. Os exames de controle, uma dieta saudável, a ajuda de amigos, da família, e os grupos de apoio, podem ajudá-lo a voltar à rotina mais rapidamente.

Como é o interior do cólon?

O cólon (intestino grosso) é a parte de forma tubular do aparelho digestivo que armazena as fezes e as expulsa do organismo. Um cólon saudável possui uma parede lisa e protetora que funciona como um encanamento, deslocando os resíduos disgestivos para cima, para baixo e para fora, em movimentos circulares. Mas o tecido do cólon pode sofrer modificações. Podem ocorrer "crescimentos anormais" na parede do cólon. Eles devem ser removidos imediatamente. Alguns podem se transformar em câncer. Um cólon livre de "crescimentos anormais" é um cólon livre de câncer.

Função do Cólon saudável

O "tubo" muscular do cólon mede aproximadamente 1,5 metros e está disposto de maneira a proteger o corpo dos resíduos digestivos. A comida ingerida chega ao cólon após passar pelo estômago e intestino delgado. Assim que a comida entra no cólon, os fluídos são absorvidos pela corrente sanguínea. As fezes são então compactadas, armazenadas e empurradas pelos músculos até o ânus para serem então eliminadas.

Tumores prejudiciais na mucosa do Cólon

Às vezes ocorrem alterações no tecido do cólon, talvez resultantes de fatores genéticos, dieta de alto teor de gordura, e de pouca fibra ou exposição a substâncias cancerígenas. Estas alterações podem causar tumores - câncer ou pólipos - na mucosa do cólon.

Pólipos

Um pólipo "benígno" é um tumor não cancerígeno, e pode ser pequeno como uma ervilha ou grande como uma bola de golfe. Quanto maior for o pólipo, maior será a probabilidade de se tornar canceroso. A remoção precoce de pólipos benignos pode evitar que eles se tornem cancerosos.
Câncer (tumor malígno)

O câncer é formado por células anormais que crescem sem controle, e geralmente são do tamanho de um cogumelo ou maior. Eles podem crescer na mucosa do cólon e espalhar-se para outras partes do corpo. Quanto antes os cânceres forem removidos, maiores serão as chances de se evitar a sua disseminação.

Disseminação do Câncer

Se as células cancerígenas se soltarem, podem passar pela mucosa do cólon e entrar nos vasos sanguíneos e línfaticos. Estes vasos podem transportar as células cancerígenas para os gânglios linfáticos, fígado, pulmões ou outros órgãos, iniciando novos focos de câncer. Esta disseminação do câncer é chamada de metástase.
Avaliação

O primeiro passo no diagnóstico do problema de cólon é uma avaliação completa. O médico analisa o histórico de sua saúde e faz uma exame completo. Ele também pode pedir uma série de exames para ajudar a identificar o problema com exatidão. Só então o médico discute com você o tratamento a ser usado.

Histórico e exame

O histórico da sua saúde fornece ao médico pistas para fazer o diagnóstico. As pessoas com histórico pessoal ou familiar de doenças do intestino, correm maior risco de desenvolver um câncer de cólon. O médico fará perguntas sobre os seus sintomas, sobre a sua dieta e sobre a ocorrência de câncer em você ou em membros de sua família. Ele também o examinará detalhadamente e poderá checar a presença de sangue nas fezes.

Exames diagnósticos

O médico pode solicitar exames específicos. Cada um deles fornecerá informações sobre determinadas partes do cólon. Estes exames ajudam a determinar o possível problema. Eles são um pouco desconfortáveis e podem ser realizados no consultório do médico ou em um hospital.
Exame de toque retal

Neste exame o médico insere um dedo, com luvas, no reto, para verificar se existem sinais de alteração nos tecidos. Este exame dura menos de um minuto, mas pode detectar tumores que passariam despercebidos.

Sigmoidoscopia

O médico verifica a saúde do intestino grosso inserindo um sigmoidoscópio no ânus. Ele é composto de um tubo com uma lâmpada na extremidade para visualizar o cólon sigmóide e colher amostras dos tecidos. Este procedimento não necessita sedação, causa pouco desconforto e dura apenas alguns minutos. Entretanto, ele pode detectar cerca de metade dos tumores de cólon, caso existam.
Enema de Bário


Este exame fornece uma imagem de todo o cólon. O radiologista administra bário líquido em seu cólon e faz um raio-x. Ele também pode injetar ar no cólon para tornar as pequenas anormalidades mais visíveis. Este exame é realizado de forma ambulatorial em um hospital ou clínica de radiologia. É necessária uma preparação especial para limpar o intestino antes do exame.

Colonoscopia
A colonoscopia é uma técnica avançada para visualizar todo o cólon através de uma tela de vídeo ou instrumento ótico. O colonoscópio é um tubo fino e flexível com uma lâmpada na extremidade que é inserido no cólon. Ele é usado tanto para diagnosticar tumores como para confirmar o resultado dos exames. Também pode ser usado para remover pólipos pequenos e coletar amostras de tecido para análise. É necessária sedação leve durante o procedimento.
A CIRURGIA

A idéia de remover parte do cólon pode parecer assustadora. Mas na verdade, parte ou o total do cólon pode ser removido sem causar problemas sérios. Na maioria das cirurgias de cólon apenas a parte afetada é removida (ressecção), e depois as duas novas extremidades são unidas por pontos ou grampos (anastomose). Em caso de câncer do cólon, a cirurgia remove o câncer, os tecidos adjacentes e as glândulas linfáticas, para reduzir a chance de recidiva. No caso de câncer de cólon ou pólipo grande, a ressecção é planejada para conservar o formato de tubo do cólon para que os resíduos possam passar facilmente conservando as funções normais do intestino.

Ressecção do cólon

É feita uma incisão no abdome. O tumor e partes adjacentes ao cólon são removidos e, em seguida, as novas extremidades do cólon são unidas novamente. As funções intestinais voltam ao normal quatro a cinco deias após a cirurgia.

RISCOS E COMPLICAÇÕES

  • Infecção
  • Dano aos órgãos vizinhos
  • Anastomose que vaza ou separa
  • Coágulos sanguíneos
  • Possível colostomia
  • Riscos da anestesia
Hemicolectomia direita
Colectomia transversal
Colectomia esquerda
Colectomia sigmóide
Colostomia com Ressecção

A colostomia é realizada com objetivo de criar uma nova abertura (estoma) para saída dos resíduos. Poderá ou não haver remoção cirúrgica dos músculos do reto e esfíncter. O cólon é trazido para fora através de uma abertura no abdome formando um estoma. Após a recuperação, as fezes passam através do estoma e são depositadas em uma bolsa.
Permanência no Hospital
Você ficará surpreendido pela rapidez com que estará de pé e voltará a andar após a cirurgia de cólon. Assim que deixar a sala de recuperação, onde a pressão sanguínea, pulso e respiração são monitorados cuidadosamente, você voltará para seu quarto de hospital. Se não houver complicações, a sua permanência no hospital será de quatro a oito dias após a cirurgia. Durante este período você será monitorado cuidadosamente para garantir que tenha uma boa recuperação e para que o cólon comece a funcionar novamente.
Recuperação em CASA
Você deve voltar a consultar o médico de sete a dez dias após a alta hospitalar, e em mais ou menos seis semanas você começará a se sentir como antes. Ainda assim, poderá se cansar facilmente durante vários meses porque seu corpo estará usando muita energia para se recompor. Descanse quando se sentir cansado. Normalmente você poderá retomar todoas as suas atividades dois meses após a cirurgia, quando estiver completamente curado. Mas provavelmente você ficará sem trabalhar de um a três meses, ou até que suas energias voltem ao normal.

^ CLIQUE AQUI E VOLTE AO MENU


Mudança de aspecto das verrugas, pintas ou sinais

_______Câncer da pele_______

Sol na medida. Saúde na certa.

 

Quem deve usar proteção solar ?

  • Pessoas que possuem na família antecendentes para câncer da pele;
  • História de queimaduras solares;
  • Sardas;
  • Pele clara;
  • Incapacidade para bronzear;
  • Nevos melanocíticos múltiplos.

Apresentando estes fatos, o indivíduo deve:

Evitar o sol entre 10:00 am até 15:00 pm
Ficar em áreas com sombras
Usar camiseta e boné (chapéu).
Usar filtro solar: fator 15


Além da proteção solar, a avaliação clínica dos nevos melanocíticos é muito importante. Você encontrará nesta página uma metodologia normalmente aplicada para reconhecer uma possível transformação malígna:

A REGRA DO ABCD

 

Assimetria
Borda
Cor
Diâmetro
OS NEVOS COMUNS SÃO REDONDOS E SIMÉTRICOS. ALGUMAS FORMAS INICIAIS DE MELANOMA SÃO ASSIMÉTRICAS, OU SEJA, UMA LINHA TRAÇADA NO MEIO NÃO IRÁ CRIAR METADES COMPARÁVEIS.
OS NEVOS APRESENTAM AS BORDAS REGULARES, ENQUANTO OS MELANOMAS APRESENTAM IRREGULARIDADES COM SALIÊNCIAS E REENTRANÇAS.
OS NEVOS COMUNS GERALMENTE APRESENTAM COR NA MESMA TONALIDADE. OS MELANOMAS NORMALMENTE APRESENTAM VARIAÇÃO DE TONS (1º SINAL DO MELANOMA)
OS NEVOS COMUNS NORMALMENTE NÃO ULTRAPASSAM 6mm DE DIÂMETRO. MELANOMAS INICIAIS TENDEM SER MAIOR.

O carcinoma baso e espinocelular são os dois tipos mais comuns de tumores de pele tanto no homem quanto na mulher. Na maioria das vezes aparecem como pequenas feridas ou nódulos que não cicatrizam. Muitas vezes recobertos por uma crosta (casca) que desprende e se forma novamente. Estes tumores podem ocorrer em qualquer parte do corpo, mas são muito mais comuns na face de pessoas de pele clara e que se expõe muito ao sol. Quando diagnosticados precocemente e tratados de maneira correta as taxas de cura são praticamente de 100%. Quando as lesões são muito avançadas as taxas de cura são menores e a cirurgia que é a principal forma de tratamento destes tumores já não trazem resultados estéticos e funcionais como se consegue no início.

Carcinoma inicial da pele
Carcinoma mais avançado, evite chegar nesta fase.


Feridas que não cicatrizam

ALGUNS EXEMPLOS DE MELANOMAS:


MELANOMA DO COURO CABELUDO

MELANOMA EM SUA FASE INICIAL

MELANOMA UM POUCO MAIS AVANÇADO

MELANOMA EM FASE AVANÇADA

(TOME CUIDADO COM SUAS PINTAS, EVITE CHEGAR EM FASES AVANÇADAS)

 


Caroços ou nódulos na mama e em outras partes do corpo

O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA

Primeiro, a dúvida ... um caroço, um nódulo, um exame com “problema”... Depois, a espera: uma biópsia da mama... Enfim, o diagnóstico: câncer de mama! E agora? Vou morrer? Quanto tempo tenho de vida? E o meu seio? E os meus filhos? Como vão ficar? E o meu marido, quando souber?

Quantas dúvidas e “certezas” passam na cabeça de uma mulher nesse momento... Ouça os profissionais de saúde que estão envolvidos no seu tratamento. Anote suas perguntas e ... Pergunte! Desabafe!

Apesar de ser um tumor maligno, o câncer de mama é uma doença que pode ser curada se detectada a tempo, o que nem sempre é possível pois o medo de um diagnóstico é muito grande. Não perca tempo!
Se você acha que tem um caroço na mama, procure um médico imediatamente!

_________________________________________________________

Auto-exame

A maioria dos nódulos que aparecem nas mamas são benignos. Os cistos são as alterações benignas mais comuns. São dolorosos e aumentam antes da menstruação. Eles não se transformam em câncer.

Os fibroadenomas também são tumores benignos freqüentes e podem ser tratados facilmente apenas com uma pequena cirurgia, geralmente com anestesia local.

A saída de secreção pelo mamilo pode ser normal. Porém, quando esta saída de secreção é de um lado só, sai sem apertar e é sanguinolenta ou totalmente transparente (como água) , deve ser investigada.

O câncer é um nódulo que cresce rapidamente e geralmente não dói.

Como realizar o auto-exame

A mulher pode fazer a detecção precoce do câncer de mama através de um exame visual e de palpação. Este exame deve ser realizado cerca de 7 dias após a menstruação ou, para aquelas que não menstruam mais, uma vez por mês (por exemplo, na data do aniversário).

Exame visual

1) Em frente ao espelho, olhe suas mamas, procurando alterações nos mamilos ou pregas na pele, assim como covinhas.

2) Junte as mãos atrás da cabeça e empurre-as para a frente. Observe se há alguma mudança na pele ou na forma das mamas.

3) Aperte as mãos firmemente contra os seus quadris e dobre-se um pouco para a frente. Observe com muita atenção se a pele ou a forma das mamas sofrem alguma mudança.

Palpação

1) Deite-se com uma almofada pequena embaixo das costas do lado direito, com o braço deste mesmo lado debaixo da nuca.

2) Com os três dedos do meio da sua mão esquerda, examine a mama direita, firme e cuidadosamente, em toda a sua extensão. Comece pela superfície externa, apertando a parte média e plana dos seus dedos contra a mama. Mova-os em pequenos círculos de fora para dentro, até chegar ao mamilo. Preste atenção se existem massas ou inchaços que você não tenha notado antes.

3) Repita o procedimento para examinar a mama esquerda.

       

4) Agora, de pé, toque suavemente a mama direita com os dedos da mão esquerda , começando na axila e movendo pouco a pouco a mão ao redor da mama em direção ao mamilo.

5) Inverta a posição para examinar o lado esquerdo. Este exame pode ser feito também durante o banho, já que, com o peito ensaboado, os dedos deslizam facilmente e não é preciso pressionar.

 

_________________________________________________________

Exame clínico

É o exame das mamas realizado pelo médico.
O exame das mamas deve ser feito rotineiramente em consulta ginecológica, a cada seis meses.
Além do ginecologista, existe ainda um médico especialista em doenças das mamas, chamado
mastologista. Em caso de dúvida, o ginecologista pode encaminhar a paciente ao mastologista.
Além disso, qualquer médico pode fazer o exame das mamas, inclusive o clínico geral.

Atenção
: A mamografia não substitui o exame das mamas realizado pelo médico. Existem nódulos que não aparecem na mamografia, mas são palpáveis!

_________________________________________________________

Mamografia

Para saber se um tumor é benigno ou maligno, o médico precisará fazer alguns exames. O principal deles é a mamografia, que é feita com um aparelho de raio-X especial.

Este exame é muito simples: consiste em colocar a mama entre 2 placas de acrílico, que será comprimida. É importante saber que para fazer um exame adequado é necessário apertar um pouco a mama. Portanto, pode incomodar se for realizado quando as mamas estiverem dolorosas (por exemplo: antes da menstruação).
Assim, deve ser feito cerca de uma semana após a menstruação.

É um exame obrigatório em mulheres com mais de 40 anos ou já a partir dos 35 anos quando existirem muitos casos de câncer de mama na família. Geralmente é realizado uma vez ao ano. Em mulheres com menos de 35 anos, normalmente não é necessário fazer este exame devido à característica própria da glândula nessa idade.

A radiação recebida pela paciente durante a realização do exame é um pouco maior que uma chapa de pulmões, portanto não é prejudicial.

A mamografia permite descobrir o câncer de mama quando o tumor é bem pequeno e ainda não é percebido na palpação.

_________________________________________________________

Biópsia

Quando o exame de palpação ou a mamografia forem suspeitos, é necessária a confirmação do diagnóstico através da biópsia. A biópsia é a retirada de um pedaço do nódulo suspeito através de uma pequena cirurgia ou através de agulhas, dependendo de cada caso. O nódulo pode também ser retirado por inteiro. Este material é então analisado e depois de alguns dias, se for necessário, faz-se a cirurgia.

Biópsia e cirurgia

Com freqüência, a mulher que possui um nódulo suspeito pode fazer a biópsia e a cirurgia de uma só vez. Enquanto a mulher aguarda na sala de cirurgia, ainda anestesiada, o caroço é retirado e imediatamente analisado e confirmado ou não o diagnóstico de câncer. Se confirmado, continua-se a cirurgia com a retirada parcial ou total da mama.

É importante saber que em nenhum dos casos existe prejuízo para o tratamento. Não existe solução ideal. Fazer a cirurgia no mesmo dia ou após alguns dias não irá mudar nada. Cada mulher nesta situação deverá conversar com seu médico para decidir o que é mais adequado.


O Raio-X da mama é um importante meio auxiliar no diagnóstico do câncer
da mama. A imagem acima demonstra um nódulo esbranquiçado espiculado.
Exemplo típico de um câncer de mama.

_________________________________________________________

O nosso corpo é formado pela pele e seus anexos, as vísceras (ex: fígado, coração, cérebro, estômago, útero etc.), os ossos e as partes moles (ex: músculos, gordura, tendões, fáscias, nervos etc.). Os tumores de partes moles são aqueles que originam nas partes moles. Podem ser benignos (ex: lipoma, fibroma, mioma etc.), ou malignos. Os malignos são chamados de sarcomas de partes moles e compõem um grupo de cerca de 30 tipos de tumores, como por exemplo, o lipossarcoma (tumor maligno de gordura), o rabdomiossarcoma (tumor maligno de músculo estriado), o fibrossarcoma (tumor maligno de tecido conjuntivo fibroso) etc. Estes tumores aparecem, na maioria das vezes, nos membros superiores ou inferiores, mas, podem, também, aparecer no pescoço, parede do tórax ou abdômen. Aparecem, na maioria das vezes, como "caroços" que crescem mais rápido que os tumores benignos. Todas as vezes que encontrar um nódulo em seu corpo, principalmente nos membros superiores ou inferiores, não é obrigatório que seja um sarcoma, mas, esta possibilidade deve ser afastada. Estes tumores, no seu início, são perfeitamente curáveis, porém, nas suas fases mais avançadas, (tumores maiores que 8 a 10 cm), as chances de cura diminuem e o risco de perder o braço e a perna aumentam. Portanto, cuidado com estes nódulos, procure por um diagnóstico precoce e tratamento correto. A cirurgia é a principal forma de tratamento dos sarcomas de partes moles. A primeira cirurgia é o passo fundamental para a cura. O tumor deve ser removido com muito tecido bom no seu contorno. Quando a cirurgia é inadequada, quase sempre o tumor recidiva (volta), e torna-se mais agressivo, os índices de cura são menores e as chances de perda do membro aumentam.

Observe os exemplos abaixo:

<< Sarcoma do braço. Esta lesão começou com um pequeno nódulo que foi crescendo progressivamente.
Grande sarcoma de partes moles da face
posterior da coxa. Evite que a lesão
chegue a estas dimensões.>>
<< A área demarcada na parede abdominal corresponde a um nódulo palpável, cuja biópsia e o exame anatomopatológico
mostrou ser sarcoma.

Em 1999, editamos, através da Medsi Editora Médica e Científica, Rio de Janeiro, um livro com 593 páginas, bastante completo sobre este assunto, denominado "Sarcomas de Partes Moles", como mostra a capa ao lado.

^ CLIQUE AQUI E VOLTE AO MENU


Rouquidão permanente ou tosse sem motivo aparente

 

Tosse que não melhora em pouco tempo, rouquidão sem causa aparente, escarro sanguinolento, não são sinais obrigatórios de câncer das vias aéreas, como por exemplo o pulmão e a laringe, mas esta possibilidade deve ser afastada, principalmente em pessoas que fumam, antes de serem tratados como indícios de doença benigna.

O tabagismo é responsável por vários tipos de câncer e outras doenças graves como o infarto do miocardio, enfisema pulmonar, úlcera duodenal, insuficiência vascular periférica, maleficios ao feto e fala-se até em impotência sexual. Previna-se dessas doenças não fumando e educando seus filhos para não fumar.

Veja as imagens abaixo:




Proteja as suas coronárias o seu coração é muito importante para você.

OUTROS SINTOMAS:

Sangramentos ou anemias inexplicáveis

 

O câncer de colo de útero é um dos tumores mais comuns na mulher brasileira. O diagnóstico precoce pode ser feito por um simples exame ginecológico e colheita do material para exame de papanicolau.

Este tipo de tumor é perfeitamente curável quando diagnosticado no seu início. Vá ao médico regularmente para o exame ginecológico preventivo.



Imagem do exame Papanicolau:


O exame de Papanicolau consiste em colher células ao nível
do colo do útero para exame citológico. Usa-se uma espátula,
conforme gravura acima. Este exame permite o diagnóstico pre-
coce do câncer do colo do útero.

Veja agora alguns fatores que aumentam o risco do câncer de colo de útero:

  • Relações sexuais precoces (antes dos 16 anos);
  • Muitos parceiros sexuais masculinos;
  • Parceiro sexual masculino com múltiplas parceiras;
  • Gravidez antes dos 18 anos;
  • Muitos partos;
  • Doenças venéreas;
  • Falta de higiene íntima;
  • Fumo;
  • Carência de vitaminas.

Veja agora alguns fatores que ajudam a prevenir o câncer de colo de útero:

  • Educação sexual;
  • Retardar o início da atividade sexual;
  • Parceiro único;
  • Higiene íntima diária;
  • Comer alimentos com vitamina A (abóbora, agrião, cenoura, espinafre, ovo, abacate, leite, fígado);
  • Não fumar;
  • Fazer exame preventivo ginecológico uma vez ao ano.

 

IMPORTANTE
  1. Todas as mulheres devem fazer exame preventivo anual a partir dos 20 anos ou após início de atividade sexual.
  2. Após o segundo exame com resultado normal, a mulher pode voltar a repeti-lo somente a cada 5 anos.



 


Dificuldade para engolir / Má digestão / Emagrecimento

 

VISÃO DO ESPECIALISTA

A visão do especialista sobre o diagnóstico e a terapêutica do câncer, pela sua própria formação, é diferente dos médicos não especializados. A formação destes especialistas, hoje, é feita sobre a forma de residência médica, em geral, com duração de 5 anos.

A melhor maneira de procurar o seu profissional, é analisando o seu currículo, onde deve constar a sua formação na especialidade, sua experiência profissional e trabalhos publicados em revistas médicas ( não tomar como referência jornais, revistas não médicas e médicos que falam sobre a doença em rádios, televisão e outros meios de comunicação não adequados para comunicação científica). Um trabalho científico para ser publicado em revista médica, em geral, é analisado por médicos, e só é publicado, caso haja algum mérito. Por outro lado os trabalhos publicados em revistas indexadas têm um valor muito maior do que aqueles publicados em periódicos não indexados.

^ CLIQUE AQUI E VOLTE AO MENU

O câncer é uma doença genética, ou seja, quem adoece é o gene

ESPORÁDICO -> Adquirimos durante a vida e em 80 - 85% dos casos acomete pessoas mais idosas.

HEREDITÁRIO -> Trazemos do berço e em 10 -15% dos casos acomete pessoas mais jovens que tem uma história familiar típica.

A medida que o tumor vai crescendo, êle infiltra os tecidos vizinhos, como se fosse as patas de um caranguejo infiltrando a areia do mar ao andar na praia, daí surgiu o símbolo do câncer como sendo "O CARANGUEJO".

A medida que este tumor vai infiltrando os tecidos vizinhos, invade vasos sanguíneos e os linfáticos e as células são levadas à distância dando origem às metástases ou raízes à distância.


As principais formas de tratamento do câncer são: cirurgia oncológica, radioterapia, quimioterapia e hormonioterapia. Frequentemente, a associação delas que chamamos de tratamento multidisciplinar, contribui em muito para melhorar os resultados.


COMO EVITAR ALGUNS TIPOS DE CÂNCER
  1. MANTENHA UM COMPORTAMENTO SEXUAL SADIO E ADEQUADA HIGIENE
  2. EVITE O EXCESSO DE PESO E COMA MAIS FRUTAS, VERDURAS E CEREAIS
  3. NÃO FUME
  4. MODERE O CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS
  5. PROTEJA-SE DURANTE EXPOSIÇÃO AO SOL
  6. NO TRABALHO, SIGA RIGOROSAMENTE AS NORMAS DE SEGURANÇA
  7. VÁ AO MÉDICO REGULARMENTE PARA O EXAME GINECOLÓGICO PREVENTIVO
  8. FAÇA MENSALMENTE O AUTO-EXAME DAS MAMAS. ACIMA DE 45 ANOS, FAZER PELO MENOS UMA MAMOGRAFIA
  9. REALIZE DUAS VEZES POR ANO O AUTO-EXAME DA PELE, BOCA E ÓRGÃOS GENITAIS. OBSERVAR SE EXISTEM NÓDULOS, MUDANÇAS DE COR, TAMANHO DAS PINTAS E VERRUGAS OU FERIDAS QUE NÃO CICATRIZAM.
  10. CONSULTE O MÉDICO EM CASO DE PALIDEZ, FRAQUEZA, EMAGRECIMENTO INJUSTIFICADOS, ALTERAÇÕES DO RITMO INTESTINAL, ROUQUIDÃO, DIFICULDADE PARA ENGOLIR E PERDA ANORMAL DE SANGUE.

^ CLIQUE AQUI E VOLTE AO MENU



Perguntas que se deve fazer ao médico em relação ao tumor
  1. É benigno ou maligno?
  2. Se maligno, qual é o tipo?
  3. Qual é o estadiamento (onde está localizado ou espalhado)?
  4. Qual é o prognóstico (porcentagem de cura, sobrevida, risco de óbito)?
  5. Quais são os riscos ou efeitos colaterais do tratamento?
  6. Qual é a sua experiência no tratamento desta doença?
  7. Devo ouvir a opinião de algum especialista?
  8. Vou poder retornar às minhas atividades habituais?
  9. Com que frequência eu devo voltar para novas avaliações?
  10. Nas avaliações, quais serão os exames mais frequentemente solicitados?
  11. O que eu devo dizer aos meus familiares e amigos?

^ CLIQUE AQUI E VOLTE AO MENU

M E N U

**


Dr. Ademar Lopes/ Cirurgia Oncológica / Copyright ©
Todos os direitos reservados. All rights reserved.
Consultório: Av. República do Líbano, 894
Fones: (11) 3887-9986 / 3887-8649 / 3884-3470